Bem Vindos


Caro leitor, bem vindo ao blog da Usimak

Este espaço serve sobre tudo para divulgar notícias, produtos, ideias e para estimular a discussão.
Esclarecer dúvidas e sugestões em relação a nossos produtos atuais e também sobre novos produtos em desenvolvimento.
Espero que este espaço seja útil para todos. Todas as sugestões são bem vindas.

Pesquisar este blog

anúncios

27 de mai de 2014

Motivos para fazer um telhado vivo

O telhado verde é sem dúvida o tema mais comentado quando falamos em arquitetura sustentável e vem interessando muita gente nesses últimos tempos em que a consciência ambiental se torna cada vez mais comum. Esse conceito, que causa em muitos a sensação de novidade, já foi pensado há bastante tempo, mais precisamente no Egito antigo, porém, definido como conceito arquitetônico apenas em 1920, pelo arquiteto francês, Le Corbusier.
O arquiteto modernista Charles-Edouard Jeanneret-Gris, mais conhecido como Le Corbusier, foi quem desenvolveu a ideia de terraços jardins, com a intenção de compensar a pegada ambiental causada pela construção no terreno e proporcionar uma maior qualidade de vida as pessoas através de áreas de lazer verdes.

O conceito era tão importante que passou a ser considerado um dos 5 pontos fundamentais da nova arquitetura e com sua grande difusão, o terraço jardim serviu de influencia para vários outros arquitetos. No Brasil, foi utilizado por Lucio Costa no projeto do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de janeiro, atual sede do MEC (Ministério da Educação).

Para Le Corbusier, as cidades modernas encontravam-se asfixiadas, sem áreas verdes suficientes, não contribuindo para uma boa qualidade de vida dos cidadãos. Então, propôs que todas as construções tivessem seu próprio terraço-jardim. Com quase um século de existência, o conceito de telhado verde desenvolvido por Le Corbusier é mais atual do que nunca. Em tempos de crise ambiental, cada um pode fazer sua parte colaborando para sua comunidade e o planeta.

Para te incentivar a deixar sua casa mais verde, selecionamos 5 motivos que vão fazer você querer transformar o seu telhado em um "organismo" vivo.

Motivo 1: Os telhados verdes purificam o ar
Com uma cobertura coberta por vegetação, sua casa, além ter sua pegada ambiental reduzida, contribui para a limpeza do ar absorvendo gás carbônico e liberando oxigênio.


Motivo 2: Sua casa mais fresca
Os telhados verdes funcionam como um controlador térmico fazendo com que o calor gerado pela insolação seja reduzido consideravelmente. Ou seja, um telhado verde funciona como um ar condicionado natural.


Motivo 3: Captação de água da chuva
Por ser coberto por vegetação e uma camada de terra, o telhado verde possui uma grande capacidade de retenção de água da chuva. Com a ajuda de um coletor (aprenda a fazer aqui), essa água pode ser reaproveitada de várias maneiras.


Motivo 4: Isolamento acústico
Além de ser um purificador de ar, o telhado verde ainda contribui para o conforto interno da residência reduzindo a poluição sonora gerada pelo ruído de carros e outros veículos.


Motivo 5: A biodiversidade no telhado da sua casa
Além dos motivos listados à cima, os telhados verdes contribuem para a manutenção da biodiversidade. Segundo estudos realizados pelas universidades Barnard College, Columbia University, Fordham e Universidade do Colorado, as coberturas com vegetação abrigam centenas de espécies de fungos além de aves, esquilos e outros animais.


7 de mai de 2014

Microgeração de Energia

microgeração

 Microgeração de energia é a criação de pequenas centrais de energia em residências, como a foto destaca. Essas centrais são ligadas a rede do município e abastecem outras residências. A grande dúvida é a viabilidade desse investimento, hoje alto e que não tem muito apoios fiscais.
A ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica, há quase dois anos já regulamentou as regras da microgeração distribuída de energia. Quem decide instalar. por exemplo, placas voltaicas ou aerogeradores e em algum momento superar a produção de energia do que utiliza, poderá fornecer o excedente na distribuidora local. Um equipamento regrista a quantidade de energia gerada e fornecida a rede e é debitado em reais de sua conta mensal de energia, e caso a quantidade de energia gerada ultrapasse a de energia fornecida não é necessário pagar a conta.
microgeração

A cidade do Rio de Janeiro teve recentemente a primeira casa com microgeração de energia integrada a rede e registrada pela ANEEL. Analisando a fatura de energia elétrica, após a instalação do primeiro sistema solar fotovoltaico de microgeração de energia na área de atuação da Light, com 2 kWp de potência, os benefícios econômicos e ambientais já se fazem presentes.
microgeração

Para efeito de comparação cada KWh gerado rendeu cerca de R$ 0,48, e num período de 6 meses foi contabilizado 1.440 KWh. A novidade dessa nova tecnologia no Brasil ainda é recente e deve ser estimulada pela governo afim de melhorar a matriz energética. Não deve ser uma exclusão de outros tipos de energia, mas sim um adendo muito bem-vindo.

fonte