Bem Vindos


Caro leitor, bem vindo ao blog da Usimak

Este espaço serve sobre tudo para divulgar notícias, produtos, ideias e para estimular a discussão.
Esclarecer dúvidas e sugestões em relação a nossos produtos atuais e também sobre novos produtos em desenvolvimento.
Espero que este espaço seja útil para todos. Todas as sugestões são bem vindas.

Pesquisar este blog

anúncios

30 de set de 2011

Empresa usa resíduos de couro para fabricar blocos para a construção civil


A empresa paulista produtos de couro, Couroecol, desenvolveu um processo que permite utilizar o resíduo de couro na fabricação de blocos com melhor isolamento térmico e que podem substituir os blocos convencionais na construção civil, disse à Revista Sustentabilidade, Emar Garcia Junior, dono da empresa.
“Fiz um curso de curtume que me abriu a cabeça [para o problema dos resíduos]“, lembrou empresário e arquiteto. “Aí comecei a pesquisar maneiras de aproveitar o resíduo”.
Segundo Garcia Júnior, só a cidade de Franca, onde encontra-se um dos maiores pólo calçadista do país, são destinados ao aterro industrial local cerca de 100 toneladas por dia de aparas e outros resíduos de couro descartados na fabricação de calçados. Este material contém 17 tipos de diferentes de produtos químicos usados para processar o couro cru e que são destinados a aterros. A maioria destes aditivos são nocivos ao meio ambiente e à saúde.
O chorume dos aterros que recebem os resíduos da industria calçadista e dos curtumes, portanto, carregam estes produtos químicos. Acidentes podem acontecer. Em outubro de 2006, o rio dos Sinos no Rio Grande do Sul, local onde se concentra os cortumes gaúchos, foi contaminado pelo chorume dos aterros da região, provocando a mortandade de 86 toneladas de peixes.Segundo dados da Cetesb de 2005, cada tonelada de couro processado resulta em 2,4 tonladas de resíduos,
O processo desenvolvido pela Couroecol, e que foi desenvolvido com recursos próprios, consiste no trituramento de resíduos da industria e adição de um aglutinante, que neste caso é feito a base de água e não poluente. O aglutinante já foi patenteado pela empresa. O couro vem das aparas e resíduos oriundos da fabricação de calçados, maior parte de Franca, cidade onde se concentra grande parte da indústria calçadista de São Paulo.
A massa resultado deste processo é transferida para moldes, prensada e transferida para o processo de secagem, conhecido como cura.
Na prensagem convencional a água contida na massa é retirada pela alta pressão, carregando produtos químicos utilizados no processo de fabricação do couro, entre eles o cromo, o enxofre e o alumínio.
“No nosso processo, paramos de prensar antes de começar a sair água”, informou Garcia Junior explicando que o processo visa manter alguns dos químicos, como o cromo, que dão durabilidade ao bloco. “O cromo torna o couro eterno, se você enterrar um sapato ele dura pra sempre”.
Outra diferença do processo convencional de fabricação de blocos de concreto é a secagem natural ao ar livre, o que evita a emissão de gases que ocorre na secagem industrial em fornos. O tempo de secagem dos blocos é em média sete dias, o mesmo tempo requerido na secagem dos blocos de concreto.
Segundo Garcia Junior os blocos da Couroecol são até 50% mais leves que os blocos de concreto e são isolantes térmicos e tem eficiência de 40% no isolamento acústico.
O produto tem alta durabilidade, característica adquirida com a adição de cromo ao couro pelos curtumes, disse Garcia Júnior.
Segundo ele, ao utilizar os blocos de resíduos, o custo nas obras diminuirá pois não será necessário fazer os acabamentos convencionais, as paredes podem receber apenas uma camada de massa acrílica para impermeabiliza-las.
O valor do bloco feito a partir de resíduos é o mesmo valor do bloco de concreto, ou seja cerca de R$1. Garcia Júnior disse que para cada bloco de 2,3 kg são necessários 2,3 kg de resíduos para produzi-lo, conclui Garcia Junior.
A Courecol começou a porduzir os blocas há um ano e meio e, por meio de uma parceria, deve fornecer os blocos de couro para construir um refeitório de uma curtidora em Franca..
A exportação de couro brasileira alcançou em 2008 o faturamento de US$ 1,88 bilhões. Os maiores estados exportadores do material são São Paulo e Rio Grande do Sul que respondem por 30 e 27% respectivamente do faturamento.
A indústria de couro em si também gera um grande volume de respiduos, efluentes líquidos e poluentes gasosos. Segundo dados da Cetesb de 2005, cada tonelada de couro processado resulta em 2,4 tonladas de resíduo sólido, 120 metros cúbicos de efluentes líquidos e 160 quilos de poluentes atmosféricos, em média.
Os proximos passos são obter certificações que comprovem que o produto final é limpo e buscar uma forma de gerar créditos de carbono com o processo, disse Garcia de Souza.
“As minhas expectativas são as melhores pois o déifict habitacional é alto e eu ofereço um produto com menor custo”, disse.
Fonte: Revista Sustentabilidade

Sistema construtivo com blocos de concreto é um dos mais utlizados para erguer edificações, graças às normas que abrangem todo o processo da construção


O sistema construtivo de alvenaria estrutural com blocos de concreto é atualmente um dos sistemas industrializados mais – senão o mais – utilizado para erguer edificações de todos os padrões – desde edifícios e casas para programas habitacionais como o Minha Casa, Minha Vida até prédios voltados para a alta renda. Essa posição de destaque não acontece por acaso.
Os blocos de concreto que compõem o sistema construtivo oferecem uma lista de vantagens difícil de ser atingida pelos concorrentes: tem um rol de normas completo, que abrange desde a especificação e dimensionamento dos produtos para a fabricação, até o projeto estrutural, a execução e controle de obras.
O bloco de concreto é também um produto que atende aos requisitos da norma de Coordenação modular para edificações, a ABNT NBR 15873/2010, o que auxilia fortemente na industrialização da construção em todas as suas etapas. As dimensões dos blocos de concreto seguem o módulo de 10 cm estabelecido pela norma, facilitando o dimensionamento para que esquadrias (portas, janelas) e demais instalações elétricas e hidráulicas, entre outras, possam ser executadas sem que precise quebrar blocos e recorrer ao retrabalho para finalizar edificações. “Pode-se afirmar com segurança que os blocos de concreto produzidos no Brasil com o Selo de Qualidade da ABCP seguem o estado-da-arte internacional em alvenaria estrutural”, afirma o arquiteto Carlos Alberto Tauil, consultor técnico da BlocoBrasil-Associação Brasileira da Indústria de Blocos de Concreto.
As vantagens técnico-econômicas oferecidas pelo sistema construtivo de alvenaria estrutural com blocos de concreto são representativas. O sistema, por sua racionalização (não exige a construção de pilares e vigas, como em sistemas convencionais), pela qualidade dos produtos fabricados de acordo com as normas, pela logística de entrega dos blocos em paletes, facilitando o armazenamento e manuseio nas obras, pelos equipamentos racionalizadores que facilitam o trabalho dos operários, ajudando a elevar a produtividade, e pela amplitude e atualidade das normas setoriais da ABNT, oferecem economia de até 30% em relação aos sistemas convencionais.
Todas essas virtudes fizeram com que o seminário Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto, promovido pela BlocoBrasil no Congresso do Concrete Show, em 1º de setembro, em São Paulo, fosse o mais concorrido da grade de quase 20 palestras que aconteceram nesse evento, durante três dias. “Contamos com a presença de cerca de 200 arquitetos e engenheiros de projeto e construção de todo o Brasil para assistir às palestras sobre as normas e novidades da alvenaria estrutural com blocos de concreto, numa confirmação do uso cada vez maior desse sistema construtivo em todo o país”, confirma Tauil.
NORMAS ATUAIS PARA BLOCOS PARA ALVENARIA

 •         NBR 12118/2011 – Blocos Vazados de Concreto Simples para Alvenaria – Métodos de ensaio

  •        NBR 15961-1/2011 -  Alvenaria estrutural – Blocos de concreto – Parte 1: Projeto

  •          NBR 15961-2/2011-  Alvenaria estrutural — Blocos de concreto — Parte 2: Execução e controle de obras

 •         NBR 15873/2010 – Coordenação Modular para Edificações

 •         NBR 6136/2008 – Blocos Vazados de Concreto Simples para Alvenaria – Requisitos

 •         NBR 8215/1983 - Prisma de Blocos Vazados de Concreto Simples para Alvenaria Estrutural - Preparo e ensaio à Compressão

 •         NBR 14321 – Paredes de Alvenaria Estrutural – Determinação da resistência ao cisalhamento

 •         NBR 14322 – Paredes de Alvenaria Estrutural – Verificação da resistência à flexão simples ou à flexocompressão
As normas podem ser encontradas no site da ABNT (www.abnt.org.br).
origem os artigo;http://www.revistaprisma.com.br/novosite/noticia.asp?cod=3871

22 de set de 2011

Tecnologia para a construção

A LokotrackLT106s tritura quaisquer tipos de rocha e concreto, podendo ser utilizada em vários tipos de obras
O incremento no número de obras de infraestrutura, viárias, de açudagem e na edificação de imóveis no Ceará e no País, vem elevando o consumo de vários insumos básicos, como areia, cimento e ferro e aço.

No Ceará, por exemplo, o consumo de brita (pedra triturada) já soma 270 mil metros cúbicos mensais, e estima a utilização de um milhão de toneladas de cimento, no segundo semestre de 2011, conforme previsão da Cooperativa da Construção Civil do Ceará(Coopercon -CE). De olho nessa expansão, a Fornecedora Máquinas e Equipamentos - empresa cearense que, há 56 anos, atua nos mercados de construção pesada e industrial - lança um novo modelo em britagem móvel, que pode ser utilizado em pedreiras, mas também no canteiro de grandes obras. Com investimento de R$ 1,4 milhão, o LokotrackLT106s, da finlandesa Metso, inova em tecnologia, versatilidade e produtividade.

O equipamento trás como grande diferencial a adição do módulo de peneira desmontável, produzindo duas graduações em um único estágio de britagem.

Construção limpa
Segundo o diretor executivo da Fornecedora Máquinas e Equipamentos e representante da Metso no Brasil, André Leão Ribeiro, a máquina é montada sobre uma esteira, o que permite a realização de diversos tipos de trabalhos, desde a britagem primária até a atuação em rochas duras e materiais reciclados.

Como pode ser transportada, explica Ribeiro, o equipamento pode ser utilizado em várias obras, na trituração de cimento, argamassas e rochas, viabilizando a reutilização do material e consequente redução de custos com transporte de entulhos. "Movida o óleo diesel e operada também por controle remoto, o LokotrackLT106s permite que o motorista da pá carregadeira a opere de dentro da própria cabine", destacou Ribeiro.

Segundo ele, a máquina tem preço de venda de 700 mil euros, podendo ser alugada ao preço mensal de R$ 200 mil. Diante do grande volume de obras em construção, ele projeta a comercialização de, pelo menos, 12 unidades no ano que vem.

O equipamento será apresentado aos empresários da construção e o publico interessado nàs oito horas de hoje, na sede da empresa no quilômetro (km) 6,5 (nº 2.524) da BR- 116.

Locação700 mil euros é o preço de venda do LokotrackLT106s, que também pode ser alugado por R$ 200 mil, mensais

17 de set de 2011

Conhecendo um pouco de cobertura...


Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, em geral caracterizado por possuir um ou mais planos inclinados em relação à linha horizontal (diferente, por exemplo, das lajes planas ou das cúpulas). A cada um destes planos inclinados, dá-se o nome de água.

A função principal do telhado é a mesma que a de qualquer outra cobertura: proteger o espaço interno do edifício das intempéries do ambiente exterior (como a neve, a chuva, o vento, entre outros), também concedendo aos usuários aí localizados privacidade e conforto (através de proteção acústica, térmica, etc). Porém, diferente de outros sistemas de cobertura, o telhado também promove a captação e distrubuição das águas pluviais.


Os telhados existem em vários formatos, mas todos, de uma forma geral, são constituídos pela composição de planos inclinados. De todos, o mais simples é o telhado de duas águas (o qual pode ser verificado, por exemplo, nos templos gregos clássicos). Em geral, seu principal elemento construtivo é a telha (que, por sua vez, pode ser constituída de barrometal ou outros materiais). Normalmente a inclinação das águas de um telhado corresponde às necessidades climáticas da região no qual é construído e da cultura do lugar.
A inclinação do telhado está diretamente ligada ao tipo de cobertura empregada e a atuação do vento na região. Atentando principalmente para o melhor escoamento das águas pluviais, impedindo a transmissão de umidade para o interior do imóvel.


PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM TELHADO:

Casas de isopor?

Esta é a casa que vem sendo intitulada “casa do século 21″. A casa é um tipo de domo, algo com uma forma de um igloo. A casa é 100% feita de isopor! (poliestireno expandido)
styrofoamdomehomeshn7 Casas de isopor?
Pode parecer uma escolha de material um tanto quanto bizarra para uma residência, mas o isopor tem algumas vantagens, como ser resistente a tufões, terremotos, não atrai formigas nem cupins, é à prova de mofo, é um eficientíssimo isolante térmico e acústico e ainda por cima é barato e praticamente instantâneo de construir. Este isopor que constitui a casa é tratado químicamente de modo que não propaga a chama e não libera fumaça tóxica em caso de incêndio. Além do mais, nem todo mundo sabe que existem varias densidades de isopor disponíveis. Quando a gente fala em isopor a maioria das pessoas pensa logo em caixa de cerveja ou aquelas placas escolares. Não é este isopor não. Este não aguenta nada. O isopor dessas casas é bem mais denso, com uma dureza parecida com a da madeira.
O problema que eu vejo nisso é que o isopor é um senhor poluente ambiental. Além do mais, eu não me sentiria muito seguro numa casa que derreteria se eu jogasse aguarraz nela. Mas acho uma idéia interessante, por exemplo, para remanejamento de desabrigados. Tipo os infelizes que perderam suas moradias no terremoto da China. Enquanto o governo Chinês vai levar dois anos para reconstruir as casas, poderia usar este tipo de moradia provisória até que casas normais ficassem prontas. Bem ou mal, é muito melhor que viver numa barraca de camping.
A empresa que produz essas casas chama-se International Dome Houses Inc. As casas são estruturadas em partes pré-moldadas de isopor prensado, assim fica fácil construir. É como se fosse com lego. Só que as peças são enormes.
parts02ab8 Casas de isopor?
Nem todas as casas do sistema são em forma de domo. Isso dá uma variabilidade de composições e montagens que permite adaptação ao orçamento e à criatividade. Sinceramente, eu achei bem legal mesmo. Melhor que 90% das casas pré-moldadas que já vi. No site dos caras tem uns modelos que me impressionaram. O espaço interno é muito grande, e as misturas de formas permitem conceitos bem loucões. Saca só:
ex07rc6 Casas de isopor?
ex05lx4 Casas de isopor?
ex01mc4 Casas de isopor?
ex04xi1 Casas de isopor?

Eu fico imaginando que deve ser legal ver a construção de uma casa assim. Em poucos dias ela deve ficar pronta, e considerando o material, deve ser bem barato. Assim, você escolhe bem o terreno e coloca uma casa dessas pré-moldada lá. Isso garante algum tempo até você juntar mais uma grana para fazer a casa definitiva. Depois ainda pode usar a casinha de isopor inicial como garagem, depósito ou escritório home-office.

15 de set de 2011

Mecânica movimenta as grandes obras


Área de atuação é ampla e rendimentos bem atrativos

Rio - O que infraestrutura, construção civil, eletricidade e siderúrgica têm em comum com o curso de Mecânica do Senai? Tudo. Pois é exatamente nele que serão forjados os profissionais que irão desenvolver projetos, fazer a manutenção de equipamentos de alta tecnologia para atender estes setores e muitos outros.

O representante do Senai lembra que os grandes eventos como a Copa do Mundo, Olimpíada  e o PAC , necessitarão de mão de obra qualificada. " São muitas obras que estão em andamento onde são utilizados equipamentos sofisticados", conclui.
Atuação
O setor de Mecânica é bastante amplo atingindo desde  atividades de transformação de metais por meio de processos físicos, fabricação de produtos, sistemas e componentes aplicáveis tanto ao consumo final quanto à produção. Envolve também  instalação e reparo de máquinas, ferramentas e sistemas mecânicos -  como bombas,  motores, compressores, processos denominados de manutenção mecânica.
Fique atento
O Rio emprega 22.553 trabalhadores. No Estado há 53.573 empregados, com salário médio de R$ 1.955,91. O segmento conta com 2.593 estabelecimentos no Estado do Rio.
A região Norte é a que paga melhor com salário médio de R$ 3.206,94. Trabalhadores com formação de Ensino Médio completo  recebem em média R$ 2.722,58, enquanto àqueles que têm escolaridade mais alta em torno de  R$ 6.869,88.

12 de set de 2011

como calcular a quantidade de blocos



São várias as dúvidas em como preparar um orçamento, contudo uma das mais frequentes diz respeito ao quantitativo dos materiais. essa postagem ajudara a calcular a quantidade de blocos por m² de parede.
                              
Tabela NBR - Dimensões nominais de blocos de vedação e estruturais, comuns e especiais
Tipo(A)
Dimensões nominais (mm)
         L  x  H  x  C  (cm)
Largura (L)
Altura(H)
Comprimento(C)
QUANT. PEÇAS/m²
10 x 20 x 20
90
190
190
27,4
10 x 20 x 25
90
190
240
21,7
10 x 20 x 30
90
190
290
18,0
10 x 20 x 40
90
190
390
13,4
12,5 x 20 x 20
115
190
190
27,4
12,5 x 20 x 25
115
190
240
21,7
12,5 x 20 x 30
115
190
290
18,0
12,5 x 20 x 40
115
190
390
13,4
15 x 20 x 20
140
190
190
27,4
15 x 20 x 25
140
190
240
21,7
15 x 20 x 30
140
190
290
18,0
15 x 20 x 40
140
190
390
13,4
20 x 20 x 20
190
190
190
27,4
20 x 20 x 25
190
190
240
21,7
20 x 20 x 30
190
190
290
18,0
20 x 20 x 40
190
190
390
13,4
Medidas especiais
Dimensões nominais (mm)

L x H x C   (cm)
Largura (L)
Altura(H)
Comprimento(C)

10 x 10 x 20
90
90
190
57,5
10 x 15 x 20
90
140
190
37,1

10 x 15 x 25
90
140
240
29,4
12,5 x 15 x 25
115
140
240
29,4

       
Tabela 2 - Dimensões nominais dos blocos de concreto
dimensões

a

b

c
peso
QUANT. PEÇAS/m²
9
x
19
x
39
10kg
12,5
9
x
19
x
19
4,8kg
25,0







1/2 tijolo
11
x
19
x
39
10,7kg
12,5
14
x
19
x
39
13,6kg
12,5
1m² disposição dos blocos