Bem Vindos


Caro leitor, bem vindo ao blog da Usimak

Este espaço serve sobre tudo para divulgar notícias, produtos, ideias e para estimular a discussão.
Esclarecer dúvidas e sugestões em relação a nossos produtos atuais e também sobre novos produtos em desenvolvimento.
Espero que este espaço seja útil para todos. Todas as sugestões são bem vindas.

Pesquisar este blog

anúncios

9 de set de 2011

Alvenaria estrutural garantida



Finalidade da nova norma é aumentar segurança e controle sobre materiais e execução de estruturas
O CB 02 - Construção Civil revisou a NBR 10837 - Cálculo de Alvenaria Estrutural de Blocos Vazados de Concreto e a NBR 8798 - Execução e Controle de Obras em Alvenaria Estrutural de Blocos Vazados de Concreto para propor procedimento para projetos e ensaio e controle de execução de alvenaria. Assim, foram publicados dois novos textos: a NBR 15961-1 Alvenaria Estrutural Blocos de Concreto, subdivididas em parte 1 (Projeto) e parte 2 (Execução e Controle de Obras).
Entre as principais mudanças, na parte 1, voltada ao projetista, estão o dimensionamento embasado no método dos estados limites. O novo texto prevê critérios de cisalhamento executados a partir do argamassamento de blocos por cordões laterais. Além disso, propõe padronizar o ensaio de argamassa para cubos de 4 cm a partir da caracterização de argamassas aditivadas ou aditivos complementares.
A padronização e o detalhamento dos resultados a partir da área bruta também devem ser considerados. Na norma anterior, a resistência do bloco era indicada na área bruta e a do prisma na área líquida, o que prejudicava a área de controle. "A norma prioriza o controle e o projeto baseados em dimensões precisas e em procedimentos para correções", afirma Guilherme Parsekian, secretário do comitê de estudo responsável pela elaboração.
A norma define regras para paredes estruturais ou não, suas resistências à compressão, as diretrizes para verificação de dano acidental e colapso progressivo e também critérios para dimensionamento.

MATERIAIS CARACTERIZADOS

A parte 2 da norma prevê a caracterização dos materiais - tais como bloco, argamassa, graute e prisma - além de procedimentos de ensaios fundamentais para execução. Também acrescenta procedimentos para controle de materiais, recebimento no canteiro, produção da argamassa e do graute, além de processos de aceitação da alvenaria.
Outra novidade é o plano de controle, que deve contemplar responsáveis pela circulação das informações, tratamento do sistema e resolução de não-conformidades, por meio de registro e arquivamento das informações.
São propostas boas práticas que vão desde orientações para estocagem e transporte de blocos, produção de argamassa e graute, até recomendações gerais para produção da alvenaria. A construtora poderá utilizar ensaios de fabricantes que possuam­ certificação da qualidade desde que os estudos tenham sido realizados a até 180 dias da aplicação e tenham sido utilizados os mesmos traços do que será aplicado no canteiro. "Com isso, queremos evitar que os primeiros pavimentos dos edifícios - que são os que suportam maiores tensões -, sejam construídos com incerteza quanto às propriedades dos materiais", afirma Parsekian.
Um único estudo valerá também para edificações que fazem parte de um mesmo empreendimento, que possuam o mesmo projetista estrutural, que necessitem apresentar as mesmas resistências e que utilizem a mesma relação de materiais.


Pedreiros qualificados

Comissão de Estudo de Pedreiro de Obras, do CB 90 - Comitê Brasileiro de Qualificação de Pessoas no Processo Construtivo para Edificações, aprovou a norma NBR 15968: 2011 - Qualificação de Pessoas no Processo Construtivo para Edificações - Perfil Profissional do Pedreiro de Obras. Além da publicação do texto, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) firmou parceria com o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) para fiscalizar a mão de obra no canteiro.
"Os profissionais agora têm padrão a seguir no que diz respeito à certificação e é responsabilidade da construtora aferir a qualificação do pessoal no canteiro", alerta Francisco Carlos da Silveira, coordenador da regulamentação da norma. A certificação, concedida por entidades profissionalizantes, poderá ser requerida inclusive por pessoas no exercício da função a partir de testes práticos que comprovem a habilidade técnica do profissional, de acordo com o perfil requerido na função ou na qualificação.
Foram estabelecidas competências necessárias para seis funções de pedreiro. São elas: vedação: alvenaria estrutural; revestimento vertical externo; revestimento horizontal (contrapiso/piso); revestimento vertical interno; e encarregado de pedreiro de obras.
O projeto iniciou em 2007 por demanda do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que colocou à disposição para consulta nacional oito textos-base com 12 perfis traçados a partir das competências requeridas. "O Comitê continua trabalhando para aprovar as demais subclasses e a intenção é criar um banco de dados com os profissionais certificados pelas entidades profissionalizantes", conclui Silveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário