Bem Vindos


Caro leitor, bem vindo ao blog da Usimak

Este espaço serve sobre tudo para divulgar notícias, produtos, ideias e para estimular a discussão.
Esclarecer dúvidas e sugestões em relação a nossos produtos atuais e também sobre novos produtos em desenvolvimento.
Espero que este espaço seja útil para todos. Todas as sugestões são bem vindas.

Pesquisar este blog

anúncios

3 de dez de 2011

Cura e Ensaio de resistência do Concreto

INTRODUÇÃO CONCRETO


O concreto é um dos produtos mais consumidos no mundo, perdendo apenas para a água, o que o torna muito importante para a construção. Ele não é tão duro nem tão resistente quanto o aço e, mesmo assim, é mais usado que este na construção civil. Cita-se, pelo menos, três razões principais para o concreto ser mais utilizado: excelente resistência do concreto a água (usado em barragens, revestimentos de canais, estacas, fundações, lajes, vigas, muros, etc.); fácil manuseio, sendo adequado a uma variedade de formas e tamanhos; baixo custo e fácil disponibilidade do material para obras (em geral cimento, agregados e água são relativamente baratos e facilmente encontrados no mercado) (MEHTA; MONTEIRO, 2008).



CURAS NO CONCRETO




A realização da cura é fundamental para assegurar a obtenção da resistência mecânica do concreto e garantir a sua vida útil, de modo que alguns compostos de hidratação favorecem no desenvolvimento da resistência ao longo do tempo (PETRUCCI, 2005). Os ganhos de resistência nos elementos estruturais de concreto possuem uma ligação direta aos métodos adequados de cura. Segundo a NBR 19431 (ABNT, 2004), elementos estruturais de superfície devem ser curados até que atinjam resistência característica igual ou maior que 15 MPa, de modo que durante a fase de hidratação a cura seja realizada o mais breve possível, para que haja água suficiente para a máxima reação das partículas na pasta endurecida. Com isso, faz-se necessário a utilização de métodos adequados para minimizar estas perdas e garantir que o concreto mantenha uma temperatura adequada para desenvolvimento de suas propriedades e para sua máxima hidratação.



Rompimento de corpo de prova Cilíndrico.


Ensaio de determinação da resistência à compressão axial.




A resistência à compressão axial é considerada a propriedade mais importante do concreto. Os códigos nacionais e internacionais procuram associar as demais resistências e propriedades (BAUER, 1991).
Os ensaios de resistência à compressão axial foram realizados segundo os procedimentos da NBR 5739 (ABNT, 2007) que prescreve o método pelo qual devem ser ensaiados a compressão os corpos de prova cilíndricos de concreto e moldados conforme NBR 5738 (ABNT, 2003). A máquina para o ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos deve ser equipada com dois pratos de aço, formato circular, cuja superfície de contato com o corpo de prova tenha sua menor dimensão em 4 % superior ao maior diâmetro do corpo de prova a ser ensaiado. A figura 1 ilustra o equipamento que realiza ensaios de resistência em corpos de prova cilíndricos. Recomenda-se que até as idades de ensaios os corpos de prova devem ser mantidos em processo de cura. Como o objetivo deste trabalho é analisar as diferenças de resistência à compressão de concretos através da submissão de dois tipos de cura, metade dos corpos de prova moldados foram expostos à cura úmida e a outra metade à cura ao ar. As rupturas foram realizadas nas idades de 3, 7, 28 e 44 dias para os corpos de prova submetidos aos dois regimes de cura utilizados. Para cada idade de ensaio foram moldados três corpos de prova sendo que para quarenta e quatro dias foram moldados 2 corpos de prova.

Um comentário:

  1. Olá, tenho uma dúvida em relação aos tipos de ruptura que ocorrem nos corpos de prova. A NBR 5739 mostra uma figura que contém os tipos de ruptura, porém, ela não explica os motivos dessas rupturas serem umas diferentes das outras. Você pode me responder isso?

    ResponderExcluir