Bem Vindos


Caro leitor, bem vindo ao blog da Usimak

Este espaço serve sobre tudo para divulgar notícias, produtos, ideias e para estimular a discussão.
Esclarecer dúvidas e sugestões em relação a nossos produtos atuais e também sobre novos produtos em desenvolvimento.
Espero que este espaço seja útil para todos. Todas as sugestões são bem vindas.

Pesquisar este blog

anúncios

12 de set de 2011

Alvenaria autoportante ganha cada vez mais espaço no mercado imobiliário




Arquiteta Valéria Alves: "Obras são seguras, desde que bem executadas"

Antes de fechar a compra de um imóvel, é preciso ter uma série de cuidados. Afinal, o investimento na tão sonhada casa própria deve ter solidez compatível com a estrutura da construção. Para garantir a segurança física e financeira dos moradores, além da preocupação com a parte burocrática, é preciso averiguar as condições estruturais da edificação, principalmente no caso daquelas em que foi usada a alvenaria autoportante.

Para entender o sistema, a arquiteta Valéria Alves explica que nesse tipo de modelo construtivo as paredes têm função fundamental. “Feitas com blocos estruturais, são capazes de sustentar o peso da construção sem a necessidade de pilares e vigas. Obras autoportantes são seguras, desde que bem executadas”, alerta.


Coordenador de projetos da Green Gold Engenharia, o engenheiro civil Pedro Covelo lembra que, na alvenaria autoportante, as paredes suportam lajes e outras estruturas acima. “Na maneira tradicional, poderíamos fazer a estrutura em concreto armado e depois a alvenaria, que teria função apenas de vedação e não estrutural”, esclarece.

De acordo com ele, apesar de a alvenaria estrutural ser relativamente nova para os brasileiros, há citações de suas aplicações desde o início da civilização, “como a Pirâmide de Quéops, o Farol de Alexandria e castelos e catedrais da Idade Média”, conta Pedro.

Nos dias atuais, a alvenaria autoportante tem sido muito usada em edifícios, que geralmente sofrem alterações em sua estrutura, porque os moradores sempre querem imprimir no imóvel o seu estilo. Pedro Covelo verifica que, nesses casos, as modificações mais comuns são aberturas de vãos, como transformar a cozinha tradicional em cozinha americana, unificação de ambientes, entre outros.

Paredes têm função estrutural, sem a necessidade de colocação de vigas (Eduardo Almeida/RA Studio)
Paredes têm função estrutural, sem a necessidade de colocação de vigas
Mas antes de pensar em alterar os ambientes, é preciso tomar alguns cuidados para não comprometer a segurança do prédio. Diretor jurídico da Associação Brasileira de Condôminos, Prestadores de Serviços, Empresas e Organizações Afins (Abcon), o advogado Breno Renato Marques Fabrino cita um de seus casos, que teve de ser levado à Justiça. A decisão de recorrer a medidas judiciais foi tomada porque, segundo ele, o síndico do condomínio sabia da advertência da construtora com relação a alterações na estrutura.

ADVERTÊNCIA 

Ele lembra que há, inclusive, placas expostas nas entradas do condomínio advertindo sobre a proibição de modificações devido ao fato de o prédio ter sido erguido em alvenaria estrutural autoportante. “Diante disso, buscando se informar acerca dos riscos das alterações que vinham sendo realizadas, o síndico tomou conhecimento sobre a possibilidade de danos maiores à estrutura do prédio, razão pela qual propôs ação na Justiça.”

Além das advertências quanto a danos estruturais, a realização das alterações afeta a garantia dada pela construtora, conforme o advogado. “Pois ela não se responsabilizará por danos decorrentes de utilização irregular das unidades autônomas. Isso também afeta o valor dos imóveis contidos nesse condomínio, pois o simples risco de danos estruturais e a perda de garantia são fatores de desvalorização imobiliária”, destaca Breno.





Nenhum comentário:

Postar um comentário